Terço da Misericórdia

Enquete

A Igreja nos recomenda a prática do jejum. João Paulo II, mesmo já em idade avançada, jejuava. Por que a prática do jejum é importante para você?
 



Terço da Misericórdia
Notícias

No dia 14 de setembro de 1935 Jesus ensina a Santa Faustina a oração do Terço da Misericórdia - hoje uma oração de grande prática no mundo católico, sendo rezado por milhões de pessoas diariamente. Sobre este episódio ela relata:

“À noite, quando me encontrava na minha cela, vi o Anjo executor da ira de Deus (...) Quando vi esse sinal da ira de Deus, que deveria atingir a Terra (...) comecei a pedir ao Anjo que se detivesse por alguns momentos, pois o mundo faria penitência. Mas o meu pedido de nada valeu (...) E foi nesse instante que vi a Santíssima Trindade. (...) Comecei, então, suplicar a Deus pelo Mundo com palavras ouvidas interiormente.

Quando assim rezava, vi a impossibilidade do Anjo em poder executar aquele justo castigo, merecido por causa dos pecados. Nunca tinha rezado com tanta força interior como naquela ocasião. (...) ouvi na alma estas palavras: Essa oração serve para aplacar a Minha ira. Tu a recitarás por nove dias, por meio do Terço do Rosário, da seguinte maneira: Primeiro dirás o “Pai Nosso”, a “Ave Maria” e o “Credo”. Depois, nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras: “Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro". Nas contas de Ave Maria, rezarás as seguintes palavras: “Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.” No fim, rezarás três vezes estas palavras: “Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro" (Diário, 474;476)


Oração de Intercessão

Além de clamar pela expiação dos pecados, a oração do terço da Divina Misericórdia é uma oração de intercessão, ou seja, clamamos por nós – pelas mais diversas necessidades – e por aqueles que também muito precisam ou nem mesmo se dão conta do quanto ofendem a Deus e o quanto correm perigo de perderem a sua alma. É um clamor que se eleva a Deus por misericórdia.

O Terço da Divina Misericórdia é uma oração profundamente eucarística.  Jesus deixou isso claro desde o início, dizendo a Santa Faustina: “Toda vez que entrares na capela, reza logo essa oração que te ensinei ontem” (D. 476).

Mais importante ainda, as orações do terço são, de certo modo, uma extensão da Santa Missa, uma vez que o fiel exercita seu sacerdócio batismal oferecendo ao Pai o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus. É uma forma concreta de proclamarmos a fé da Igreja na Presença real de Jesus na Eucaristia.


Promessa de Jesus aos que rezam o Terço da Misericórdia

“As almas que rezarem este Terço serão envolvidas pela Minha misericórdia durante a sua vida e, de modo particular, na hora da morte” (D. 754).

“Escreve que, quando recitarem esse Terço junto aos agonizantes, Eu Me colocarei entre o Pai e a alma agonizante não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso” (D. 1541).



Quando rezar o Terço da Divina Misericórdia?

Nos Evangelhos está claro que devemos rezar “sem cessar” (Lc 18,1). Isto aplica-se também a este Terço, que pode ser rezado em qualquer momento e lugar, bastando que o coração esteja voltado a isto. Todavia, pela própria característica desta oração, pode-se indicar alguns momentos especiais.

Sabe-se que a Hora da Misericórdia, por excelência, é às 3 horas da tarde (ver Folder n. 2) quando Jesus pede que meditemos sobre sua paixão. Ora, rezar o terço da Divina Misericórdia é uma forma de meditar sobre a paixão de Jesus, sendo, portanto, a hora em que este é mais rezado.

Por estar tão ligado à Eucaristia, esse Terço “encaixa-se” muito bem dentro de um momento de adoração a Jesus Eucarístico ou mesmo como ação de graças após a Santa Missa.

Por fim, como Jesus tem promessas especiais deste terço pelos moribundos, é uma oração de enorme eficácia junto aos enfermos. Uma vez que a oração não tem fronteiras, é muito recomendável que seja rezado em velórios, pela alma do falecido.


 
Garlix Processsamento de Dados


Congregação dos Padres Marianos
Copyright © 2013